BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

PSICOPATAS




Algumas características do psicopata são o egocentrismo, a ausência de culpa e remorso, o excesso de razão e a inexistência de emoção. Dentro destas características a mentira é um dos atos mais recorrentes. Para sustentar uma mentira, o psicopata cria outras e mais outras, sempre para chegar aos seus objetivos. Por não sentir culpa, o psicopata atua e finge muito bem. Facilmente pode forjar um choro, tristeza ou qualquer outro sentimento que seja mais facilmente observável.




A grosso modo, o psicopata pode ser classificado em três graus. O primeiro deles, o leve, seria o conhecido 171 (estelionatário), o indivíduo que aplica pequenos golpes e engana as pessoas. O segundo grau, o moderado, seria o indivíduo que se envolve em grandes fraudes financeiras ou em golpes envolvendo muitas pessoas. O terceiro grau, o grave, seria a da categoria dos serial killers, que quase sempre envolvem requintes de crueldade. No Brasil já tivemos vários casos de serial killers, dentre eles o bandido da luz vermelha e o maníaco do parque. Há também muitos outros crimes que foram cometidos por prováveis psicopatas graves, como o caso Richthofen, o caso Eloá e tantos outros.




Os crimes envolvendo os psicopatas graves são repletos de requintes de crueldade. No caso do jornalista Tim Lopes, seus assassinos fizeram um ritual para cometer o crime. Utilizaram espadas, tortura e diversos artifícios de crueldade. Por fim, o corpo do jornalista foi queimado em um local denominado "microndas". Essa categoria mais grave de psicopata pode ser descrita ainda como um predador humano, eles simplesmente “caçam” as suas vítimas como um animal feroz.




/www.psicologoemcuritiba.com.br/2009/04/psicopatia.html
Eu recebo inúmeros e-mails de pessoas que dizem, ou melhor, escrevem que quer muito me conhecer, apos ter lido meu blog, e após manifestar esse desejo de me conhecer, me dão um monte de conselhos, dos mais variados...pedem para que eu não ligue p a opinião alheia, que eu esqueça o que passou, que eu seja eu mesma, que eu me ame, etc...

Acho muito bacana esse tipo de carinho por parte de pessoas que me conhecem, só sabem um pedacinho da minha vida através desse blog. Eu não estou aqui fazendo uma crítica, ou pedindo de forma indireta que parem com seus conselhos!! Isso eu nunca faria, porque penso que toda manisfestação, seja ela positiva ou não, não deixa de ser uma forma de carinho, e que por sinal eu recebo bem.

Tenho duas coisas a ressaltar aqui: Quanto a querer me conhecer, será um prazer, mas não sei o que as pessoas imaginam ou fantasiam a meu respeito, mas adianto que sou só uma mulher que sofreu demais por ter sido ingenua, por não ter tomado os devidos cuidados aqui na internet, e que como muitas, saio de um casamento terrível, onde era violentada de todas as formas, mas que se deixou violentar, e na ansia de ser feliz, e com fome de muito amor, caiu na primeira declaração de amor Vinda de um expert em mulheres carentes. A idéia do blog não é promover a coitadinha que perdeu tudo, e que hoje leva uma vida difícil...já joguei minha coitadinha no lixo a muito tempo, assumo minhas responsabilidades, e ninguém nos faz aquilo que não permitimos....dei muito poder a ele, assim como havia dado a meu ex marido, e sempre que fazemos isso, abrimos mão de nós mesmas, e as pessoas se sentem a vontade de fazer o que bem quiser.

Outro ponto a enfatizar aqui é que eu não estou fazendo apologia ao sofrimento...nem acho que me exponho quando conto que fui vítima de violência física, verbal, emocional de meu ex marido, e mesmo tendo uma vida muito confortável materialmente, eu pedi a separação e lutei por ela, porque não há jóia, não há carro nem coisa alguma que possa servir de consolo, ou de desculpas para se viver num cativeiro como eu vivia...nunca me vendi.

Eu escrevo esse blog para PEDIR as mulheres em geral, que não fiquem nas mãos de ninguém, que denunciem, que façam BO quando forem agredidas principalmente físicamente, eu só passei a ter mais segurança o dia em que fiz um BO e andava com ele na bolsa.

Não acreditem nas desculpas, nos beijos pós massacre...nas promessas de que será a última vez! Quem nasce para agredir e encontra quem deixe, seja lá porque motivo, fará isso a vida inteira...não queira mudar ninguém....mude você.

As minhas dores, minhas mágoas, ou qualquer sentimento que derive do reultado de ter ou ser mal amada, já foi superado, caso contrário, eu não faria esse blog. Não trabalhei fora, apesar de ter faculdade e várias pós, me dediquei a filhos e ao marido durante 17 anos, abri mão de minha profissão, e hoje não tenho o menor valor para o carrasco que conviveu comigo por 17 anos, que pediu para que eu não trabalhasse...e hoje espalha aos 4 ventos que não fiz nada durante 17 anos....e se vinga no bolso, me deixando passar necessidade, e principalmente, deixando os próprios filhos passarem, sendo ele um grande executivo...mas como já escrevi anteriormente, eu deixei....eu permitir...quando eu devia ter ido embora na primeira levantada de mão de que ele deu.

Saí de um casamento onde eu deixei que me roubasse meus sonhos, minha auto estima, e tantas outras coisas, e entrei em outro que me roubou de fato, talvez a única coisa que tenha sobrado de meu casamento...um apartamento, que era minha segurança, e um carro que querendo ou não é um conforto....deixei os dois levarem tudo.

Isso é apenas um alerta, um exemplo, uma confissão de ingenuidade e burrice. Hoje, depois de tudo que dei, me dediquei, fui leal, respeitei, ainda sou mal julagada por ter me envolvido com uma pessoa que era um bandido e eu nem desconfiei.

Mas aos que me aconselham não se importar com a opinião alheia, a ser eu mesma, eu digo que o que os outros pensam , acham sentem a meu respeito, não tem o menor valor, nem chego a ouvir, sei quem sou, não tenho vergonha de ter sido tão abandonada por mim, mas hoje, depois de ter passado por tudo que passei, me amo muito, me valorizo demais, to ainda na luta, ainda quero ser muito feliz, e serei...sinto falta de ter meu conforto? claro!! de ter meu carro? com certeza!! mas tudo isso foi o preço que paguei para aprender na dor...e hoje olho no espelho e vejo uma mulher de carater, que assume que errou, ou que fez o que sabia, mas que nunca mais deixará alguém se quer enconstar as mãos em mim, se não for para me fazer um carinho.

As mãos que batem, não sabem acariciar, as mãos que roubam, não sabem pegar nem reconhecer o que é verdadeiro e honesto.

Era isso...esse é o meu recado, e sempre será!







CONTADOR

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Cobras vestindo ternos – o psicopata corporativo



Segue a tradução de comentários sobre o livro ”Cobras Vestindo Ternos - Quando Psicopatas Vão Para o Trabalho”, colocadas no site de venda on-line amazon.com. Após cada extrato eu cito o título da crítica, para que o interessado em ler tudo no original, em inglês, possa localizá-la no site (link ao final do post). Sugiro uma matéria sobre o tema para a revista Você S.A., se é que já não fizeram!!!

“Com certeza você verá uma ou duas características que eles citam em pessoas ao seu redor – mas, como eles enfatizam - deve existir um padrão repetitivo de vários daqueles sinais para que você tenha a certeza de estar lidando com um deles. (…) Aí está o verdadeiro benefício deste livro – dar a você as ferramentas para fazer o diagnóstico prévio, ou então à medida que a situação se desenrola – e não após o fato. Desse modo, você poderá se proteger das maquinações do psicopata corporativo. Ser um pouco desconfiado de todos também não é má ideia – até que se prove o contrário, após um longo período de tempo” (A very useful book – especially when dealing with organizations).

“Uma coisa que eu ainda não tinha ouvido antes é que existem 3 tipos de psicopatas: o manipulador; o ‘valentão’, que maltrata, e o puxa-saco. (…) Eles explicam como os traços psicopáticos (chamados “talentos”) podem fazer com que eles pareçam líderes ideais, sendo capazes de enganar executivos bem-intencionados que não estão familiarizados com suas técnicas de manipulação. Parte do problema para as companhias (…) é o fato de que a manipulação psicopática, coberta por um manto de charme e carisma, pode ser vista como liderança forte e segura” (A great title for a great book).

“Eu normalmente não recomendo livros sobre “negócios”, “psicologia para leigos” ou “auto-ajuda”, mas creio que este aqui é uma leitura obrigatória para todos que trabalham em empresas (leiam antes que você comece a trabalhar em qualquer área, e lembre-se de suas lições). (…) A real contribuição que esse livro dá, eu afirmo, é que ele aborda o dano adicional que esses monstros podem causar dentro de uma organização: esmagando totalmente a moral dos empregados, dilapidando a confiança na ética interna da companhia, e por fim diminuindo a performance dos funcionários e a permanência de bons empregados na empresa (profissionais de RH, prestem atenção nisso) (…). Eu também gostei do fato dos autores não oferecerem soluções superficiais às vítimas. No meu caso particular, após ler o livro e me dar conta do dano a mim causado por uma cobra na minha repartição, dentro de uma empresa onde eu amava trabalhar, tristemente concluí que havia chegado a hora de me refazer das perdas e reinventar minha vida profissional em outro lugar. Se eu tivesse lido este livro antes, talvez eu não tivesse sido presa de suas táticas de réptil (…), pelo menos o livro me previniu da ilusão de acreditar que a bondade iria prevalecer e reverter o estrago” (Necessary self-defense for organizations & employees).

“Até que você tenha tido uma experiência profissional ou pessoal com um psicopata você não poderá aproveitar integralmente o material contido neste livro. Qualquer forma de envolvimento com esse tipo de pessoa é uma experiência única e inesquecível. Imagine o que é encontrar alguém sem nenhuma consideração a ninguém, visando só o próprio benefício; essa pessoa irá agir sem a menor preocupação sobre o impacto de suas atitudes nas outras pessoas. Um psicopata é incapaz de levar em conta qualquer outro indivíduo. Aprender como lidar com eles e agir diante de suas ações vai ajudá-lo imensamente a sobreviver se você se deparar com esse tipo de pessoa” (Advice for when they leave home).

“Os autores previnem as vítimas para não cooperar com um psicopata, a documentar tudo, a jurar de pés juntos que procurarão uma transferência de setor ou um outro trabalho - os conselhos são úteis e pragmáticos, e coincidem com o que tenho lido sobre ambientes corporativos. Eu espero que o pedido de jurar de pés juntos seja reconfortante para aqueles que foram vítimas de uma cobra – se você foi usado, “descarrilhado” ou desvirtuado, por favor saiba que este é o curso natural dos eventos. (…) Eles também dão ótimos conselhos para as companhias sobre como se prevenirem de contratar um psicopata: cheque os fatos descritos no currículo exaustivamente, conduza inúmeras entrevistas com vários funcionários de diversos níveis dentro da organização, revise incansavelmente credenciais técnicas e capacidades, que faltam a muitos psicopatas, cheque referências quantas vezes for possível, e contrate um “comitê” para comparar impressões. Note bem que psicopatas normalmente tem performance excelente em entrevistas e frequentemente exageram os resultados que obtém (…), o candidato “perfeito” pode não ser tão perfeito assim” (Pragmatic, Intelligenet and Useful– Worth the Read).

“A tendência é ler este livro APÓS você ter tido um encontro com um tipo psicopata – algo tipo “após sua morte”. O ideal seria que todos lessem livros assim ANTES que precise usar os excelentes conselhos dados. Mesmo eu, irmã de uma psicóloga clínica, mãe de psicólogo, estudante de medicina e estudante amadora de desvios de personalidade, fui vitimada e só hoje me libertei do estresse, da dor no peito e da perda monetária causados por um funcionário psicopata. (…) Parte do motivo de vítimas de psicopatas não reconhecerem ou não darem importância ao perigo iminente que eles representam é porque quando pensamos em psicopatas visualizamos alguém segurando uma arma com olhar assustador. Na maioria dos casos, nada poderia ser mais distante da verdade. (…) Eu acho que todos nós já ouvimos estórias, mas o que precisamos é ACREDITAR nelas. Leia o livro. Não entre numa caça às bruxas, mas aprenda quais sinais deve observar. Mantenha distância até que passe a dúvida sobre as intenções de alguém que você acabou de conhecer, não importa quais foram as circunstâncias desse encontro. Aprenda como se desvincular se acabar envolvido com um deles (imagine como é ter seu corpo amarrado bem apertado com arame farpado), e lembre-se que nada do que eles poderão oferecer vai compensar tudo que eles vão tirar de você” (Read it and believe it).

“Uma boa estratégia para lidar com os psicopatas que cruzaram meu caminho foi expô-los, desmascarando o que faziam por debaixo dos panos. Evite ficar sozinho com um psicopata. Sempre que possível, tenha uma testemunha presente. Os autores recomendam que você mantenha documentação detalhada de tudo que acontece, mas eu acrescentaria que é melhor várias pessoas terem cópia deste arquivo. Outra estratégia é entrar em contato com outros colegas na mesma situação. Psicopatas se esforçam em fragmentar os grupos e isolar indivíduos. Eles tentam fazer você se sentir sozinho, quando na verdade você não está só. Uma vez que você buscar outros funcionários que estão sofrendo manipulação/ ataques, e vocês decidirem um plano de ação, o jogo deles estará perto do fim. E o “jogo” deles é aquele da auto-promoção, usando e desacreditanto a reputação dos colegas. Uma vez que você tenha desmascarado o psicopata, manchando sua reputação, você o coloca em seu devido lugar. Por isso, você nunca deve deixar passar em branco uma oportunidade de mostrá-los como eles são” (OK, so how do we deal with them?).

http://www.amazon.com/Snakes-Suits-When-Psychopaths-Work/product-reviews/0061147893/ref=sr_1_3_cm_cr_acr_txt?ie=UTF8&showViewpoints=1










0 comentários: